segunda-feira, dezembro 21, 2009

RAIVAS



Puta de raiva que me consome nesta vida estagnada

Nesta esterco de sentimentos neste monte de dor

Puta de morte que tarda nesta vida estagnada

Neste momento de fúria neste momento de dor

Puta de túmulo que não abre portas

A esta vida que me consome e não me mata

A esta vida que me fere e não me cura

Puta de túmulo que não abre as portas

A vida que não avisto

Puta de cova que não se abre a vida

A esta vida que não tenho

A vida que não vivo

RRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR

2 comentários:

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Maracuja Maduro disse...

Leia também poemas de Timor-Leste em Portugues no site

" Timor do Norte a Sul"

hoje com trabalhos de Mau Dick , Carlos Drumond de Andrade, Ze da Labia, Ai Funan Taci e MGabriela Carrascalao /

Vale a pena leia e faça o seu comentário

Enviar um comentário