segunda-feira, outubro 12, 2009

Quer eu queira quer não queira

Quer eu queira quer não queira
uma força que me cega
Uma fortaleza que me prende
Que prende a vontade
Que prende o desejo
Que prende o mais forte querer
Há coisas as quais não me prendo
Outras das quais não me solto
Umas demasiado importantes
Outras tanto ou mais
Há coisas as quais não me agarro
Outras das quais me solto
Há coisas em que acredito
Outras das quais não duvido
Há coisas das quais duvido
Outras das quais desconfio
Há coisas com sentido
Outras das quais sem sentido nenhum
Há coisas das quais me desligo
Porque são coisas as quais não me consigo ligar
Porque
Haverá sempre uma força que me cega
Quer eu queira quer não queira
Há uma fortaleza que me prende

1 comentário:

Letícia Vieira da Costa disse...

Ai ai ai... Depois ele diz que não é poeta. simplesmente amei, amei, amei.

Enviar um comentário