terça-feira, dezembro 22, 2009

Uma vez

E cai, como se de outono se trata-se, cai a esperança
Esta chuva, tomba-me como a ferida de uma lança
E na lenta queda, cobre-me este nevoeiro serrado
O vento leva toda a certeza e julgo estar errado
Rumo a um local desconhecido, caminho lentamente...
Olho mais longe e tendo a recuar ligeiramente...
Passo a passo enchendo-me de receio
Levo tão longe quanto vou, as partes que odeio
É certo que lutei, em redor do que acredito
Mas hoje parece ser tarde e tudo apenas infinito
Não sei bem como se deve desistir, nem se o hei-de fazer
Neste infinito já nada consigo prever...
O
hoje
foi
apenas
mais
um
ontem
perseguido
por
um
amanhã

segunda-feira, dezembro 21, 2009

RAIVAS



Puta de raiva que me consome nesta vida estagnada

Nesta esterco de sentimentos neste monte de dor

Puta de morte que tarda nesta vida estagnada

Neste momento de fúria neste momento de dor

Puta de túmulo que não abre portas

A esta vida que me consome e não me mata

A esta vida que me fere e não me cura

Puta de túmulo que não abre as portas

A vida que não avisto

Puta de cova que não se abre a vida

A esta vida que não tenho

A vida que não vivo

RRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR

Outro lado




Quem me dera sarar esta ferida que desconheço


Expandir o olhar a algo bem mais distante do que um passado


Entregar-me completamente neste presente ausente


Seguir erguido para um futuro distante e oculto


Quem me dera sarar esta ferida que me eloquece


Libertar-me desta fúria que habita o meu intimo


Ganhar o direito de viver, de ser quem sou


Vencer de verdade e com verdade


Quem me dera sarar esta ferida que me destroi


Envolver-me na loucura de um pensamento vazio


Correr de vontade para um abraço que não vejo


Sentir-me forte neste corpo fraco


Sem reacção, sem lógica, sem medo e sem receio


Quem me dera seguir-te até ao outro lado

terça-feira, novembro 10, 2009

Mentira de perna curta


Depois de tantos anos

Depois de tanto sofrimento

Depois de tanta desculpa

Depois de tanta mudança

Depois de tanta luta

A mentira tem perna curta

Desvendada da maneira mais ridícula

Mais simples mais óbvia

No meio de esquemáticos para a encobrir

Triste e tão simples

Simples demais para me ser possível acreditar

O que senti???

Nada...não me parece normal...mas não senti nada!

Foi fácil demais para ter o devido impacto...

Sou o único que a sei e o único que não sabe o que fazer!?

Estou perdido no meio desta verdade

Verdade procurada durante uma vida...

Neste breve e simples momento

Sem esquemas sem prepositos

Sem pedir, cai a mascara

Desvendada assim, sem mais nem menos!

És a maior falha da minha vida!!

Sinto uma força que desconheço

Uma vontade que não compreendo

Algo que fará de ti a merda que sempre foste

Hoje sinto-me superior!!!

segunda-feira, novembro 02, 2009

Selo

Recebi mais este selo da carla :D do blog http://tatuagens-carla.blogspot.com/ , a qual desde ja deixo o agradecimento!

As regras são estas:
1- Escrever uma lista com 8 caracteristicas
2- Convidar 8 bloggers para receber o selo
3- Comentar no blog de quem lhe deu o selo
4- Comentar no blog de quem escolheu.

As minhas caracteristicas:

1- Sincero
2- Teimoso
3- Fragil
4- Rabugento
5- Distante
6- Apaixonado
7- Convencido
8- Meigo

Blogues que escolhi:
http://world-of-passion-passion.blogspot.com/
http://amato-pensamentosperdidos.blogspot.com/
http://ritabritolx.blogspot.com/
http://escritaepoesia.blogspot.com/
http://joaozinho-fotodigital.blogspot.com/
http://a-arte-de-sentir.blogspot.com/
http://mnemolisa.blogspot.com/
http://felizparasempre09.blogspot.com/

quinta-feira, outubro 22, 2009

Encerramento temporario


Agradeço a quem passou a quem passa, aguardando que voltem a passar...
Até breve

quinta-feira, outubro 15, 2009

Noites Boas!

Repare-se se não se torna estranho acordar, acordar apenas porque preciso escrever, tem sido assim, aqui neste meu lugar neste canto da minha vida, neste buraco, buraco dos meus pensamentos. Hoje passei para dizer o pouco do pouco que tanto sinto...

Procuro-me em quanto converso

Temo o reflexo deste inverso

A realidade que me fica de costas voltadas

A verdade que me deixa as ideias baralhadas

Temo-te, temo-te teoricamente

E sigo, piso e amanso a incerteza insistentemente

Não quero seguir, nem tão pouco retornar

Quero, e quero agora ver-te em ti escavar

Quero que procures em ti, nas tuas profundezas,

Quero que sintas as minhas incertezas...

Encontra na tua mentira a minha verdade

Procura, insiste na real realidade

Procura na fragilidade das coisas mais ocultas

Sente a verdade nas mentiras que escutas

Entra no tumulo meu que a ti pertence!

quarta-feira, outubro 14, 2009

Hoje preciso de alguém...estranho

Hoje preciso de alguém em silencio
De alguém que se sinta importante
De alguém que não tenha o que eu tenho
Preciso de alguém
De alguém que não me abrace
De alguém que me tire a razão
Preciso de alguém
De alguém que não tenho
De alguém que não vou ter
Preciso de alguém
De alguém mais alguém que eu

segunda-feira, outubro 12, 2009

Quer eu queira quer não queira

Quer eu queira quer não queira
uma força que me cega
Uma fortaleza que me prende
Que prende a vontade
Que prende o desejo
Que prende o mais forte querer
Há coisas as quais não me prendo
Outras das quais não me solto
Umas demasiado importantes
Outras tanto ou mais
Há coisas as quais não me agarro
Outras das quais me solto
Há coisas em que acredito
Outras das quais não duvido
Há coisas das quais duvido
Outras das quais desconfio
Há coisas com sentido
Outras das quais sem sentido nenhum
Há coisas das quais me desligo
Porque são coisas as quais não me consigo ligar
Porque
Haverá sempre uma força que me cega
Quer eu queira quer não queira
Há uma fortaleza que me prende

segunda-feira, setembro 21, 2009

Prémio


Prémio recebido do blog:





Quero agradecer-te o gesto.

Abraçar sem razão para o fazer é demasiado bom para se rejeitar!

Simples gestos fazem de nós grandes pessoas!

Espero que muitas das minhas palavras sejam para todos um abraço!


Partilho este abraço com todos os leitores.

segunda-feira, agosto 31, 2009

Sentimento oculto

Pois, a verdade é que há pessoas que nós fazem bem...com bom ou mau feitio, há pessoas que tem tudo o que precisamos...há pessoas que não podemos deixar fugir...pela sua importância, pelo seu valor e acima de tudo pela metade que são de nós...

domingo, agosto 30, 2009

Lugar teu

Podes levar o meu corpo,

Podes esconder-te nele,

Podes deixar-me quebrado no silencio,

Tenho de deixar-te ir!

Aceitar o castigo da ausência,

Não aguardar em espera,

O regresso dessas marés!

Poderei deixar partir o luar,

Esperando o regresso dessa viagem!

Não esperarei acordado,

Que finde a dor do silencio!

Podes levar o meu corpo,

Podes esconder-te nele...

sexta-feira, agosto 28, 2009

Fugida

És importante
Sinto-me completo
Faz-me bem e falta
A perfeição é tão demais

quarta-feira, agosto 05, 2009

O tamanho não importa 3

Sentisse eu o sossego

Sentisse eu o aconchego

Sentisse eu que sentes o que sinto

Sentisse eu que sinto o que sentes

Sentisse eu a certeza do que sinto

terça-feira, agosto 04, 2009

Sei que ja la vai :s


Na tentativa de caminhar


Alcanço as certezas


Ao mesmo tempo a duvida toma meu corpo


Sem o sofrimento que ela traria outrora


Sinto o desejo ao mesmo tempo que o repugno


Sou sincero e honesto


Mas há palavras que não consigo dizer


Nada sei, porque tudo se transforma


Como nem tudo o que vem fica


Torno viva a ideia que nada é eterno


Porque me farto eu dos sentimentos?

segunda-feira, julho 20, 2009

Pensamentos insistentes


Que o sonho comanda a vida a todos nos é dito


A verdade é que ninguém se preocupa em nos parar


E o desejo que move montanhas todos conhecemos


A verdade é que ninguém nos ensina a desejar


É tão longa a ponte que separa o desejo do sonho


Como a longitude do ter e do poder de ter


Desta ilusão reiteradamente se alimenta o sonho


Do desejo a esperança

quarta-feira, julho 08, 2009

Pensamento Claustrofobico


É aqui, no meu pensamento,
Deste lado interior de mim,
Neste lado fechado,
Que me sinto claustrofobico.
Tento fugir desta perseguição,
Desta rotina infindável,
Destes tormentosos pensamentos,
Desta memória ferida,
Desta interposição com o meu ser,
Tento antecipar-me ao próximo pensamento,
Antecipação essa, sempre quebrada!
E a minha capacidade de regredir torna-se fria,
Poderosa e veloz,
Transporta maldade como por necessidade!
Como em modo de vingança,
Relembra o segundo de cada gesto,
De cada acto e de cada palavra...
E la estou eu, apavorado,
Claustrofobico neste interior de mim,
Fechado, resumido a este meu lado,
Resumido aos pensamentos do passado.
E sou levado a ser apenas esta lágrima...

domingo, junho 14, 2009

Para lá de mim





Talvez o acreditar me mova e eu não me solte


Apoderei-me inconscientemente desta réstia de esperança


Como se de minha vida se trata-se, em mim se entranhou


Tudo em volta de uma causa, tudo em volta de ti


Eras o tudo, nada do meu todo és agora


Perdi sem ser derrotado tudo o que não merecia, justiça talvez;


Mas nem tudo se derrama como sangue, a saudade ficou


Não desejo morrer mas apenas matar estes sentimentos


Sentimentos verdadeiros, que nada têm de mal


Mas quero que morram, quero que morram


Não da forma que me mataram, apenas que morram


Que partam de livre vontade, e que este corpo se torne um vazio


Vazio de nada, que nele apenas relembre o que é ser livre


Apenas recorde o que é sonhar, que nada sinta


Que a minha mente deixe de te recordar


Que deixes de ser a mais bela projecção das minhas recordações


Quero apenas aquilo que não desejo


Apenas ser feliz de outra maneira


Quero deixar de sorrir com essas recordações


Não sei o que quero


Essa é a duvida do que desejo...

terça-feira, junho 02, 2009

O tamanho não importa 2

...
Tudo se lembra
Cada passo que avanço
Cada memória que retorna
Cada memória que recordo
Cada passo que recuo
...

Coisas Estranhas


Vai e volta!

Ao mesmo tempo, tudo passa,

As marcas sobrevivem,

O tempo apaga memórias,

Nada será

Nada é

Tudo foi!

É tudo uma questão de tempo,

Tempo de esquecer

Tempo de lembrar

Tempo de recordar,

É com tempo que a memória aviva,

Que a memória apaga

É no tempo que se avança,

Que se recua

Que se estanca!

É no tempo que não tenho...

É no tempo que não tive...

Que encontro o tempo que preciso!

sexta-feira, maio 29, 2009

Gosto de ti...



Sim é o meu começo


A afirmação daquilo que temi


A mim mesmo, sim temi a minha pessoa


Hoje diante meus olhos


Meu corpo corpo escorria sangue


De uma forma imaginaria e uma vontade real


Vi meu corpo esfaqueado


O mais temido por mim aconteceu


O meu passado é recordado


Outro corpo vive minhas atitudes


Outro corpo foi moldado a mim


Sem propositos eu fiz da pessoa que mais amo


O monstro que eu fui


Interrogo-me ao mesmo tempo que me odeio novamente


E estás lagrimas que escorrem pedem socorro


Luto diante estas palavras pela sobrevivência


Fui condenado peo que disse


Já não importa o que é dito


Mas sim por quem é dito


Doeu...O choro sofaca!


A verdade é que o monstro que eu fui


Esta vivo em quem eu mais amo!

quinta-feira, maio 21, 2009

OBRIGADO CARLA



Um beijo de agradecimento à Carla pelo desafio e por continuar a seguir o meu blogue!
Aqui está o selo "J' adore tien blog" e passo a indicar os blogues que eu sigo com mais atenção:
Desabafos de parede
Passion
Tatuagens
Mika
A minha visão

Claro que sigo todos os outro que marco como seguidor!
Conforme foi pedido no desafio, vou oferecer-lhes o selo e, de seguida, indicar 5 coisas que eu gosto na vida e porquê:

- Gosto do tempo é ele que me traz tudo
- Gosto do espaço é nele que tenho tudo
- Gosto do silencio e das palavras que ele me dita
- Gosto de pessoas pois fazem parte do que sou e do que me possa tornar
- Gosto de mim e foi assim que aprendi a gostar dos outros de maneira diferente
Espero ter superado a prova! Façam o mesmo.

terça-feira, abril 14, 2009

Ainda existes


Mantenho silencioso este sentimento

A vontade de te sussurrar destroi-me

As palavras não saem

Sufocado pelo silencio

Tento alcançar-te com o meu pensamento

Há muito que ficou por dizer

Para ti são meras palavras

Pedaços nada importantes

Mas esta fortaleza que me silencia

Tende a quebrar

Cada vez que te sinto no meu olhar

Cada vez que te imagino a sorrir

O silencio quebra

As lágrimas de saudade espalham no rosto

Todas as palavras que te queria sussurrar

O tempo retorna e tudo vive a minha mente

De novo um novo começo

Uma ilusão que meu desejo cria

Uma ilusão de uma vontade real

Algo que a esperança não deixa enterrar

E este fado persiste

Nesta memoria vazia de mim

Guardo-te

Distante e tão perto

Sinto-te, toco-te mas não te falo

Não saem as palavras

Sinto-me incapaz

Deixas-me assim quando estás comigo la bem longe de mim

És a minha maior ambição

Não te quero para mim

Quero apenas me dar a ti

Abraçar-te e sentir que me abraças

Ouvir-te e sentir que me ouves

Tocar-te e sentir que me tocas

Não te ter mas sentir que sentes que me tens

sexta-feira, abril 10, 2009

O tamanho não importa 1

A
minha
simplicidade
é
composta
de
uma
grande
complexidade
ler
as
minhas
palavras
é
simples

ao
percebe-las
tudo
se
torna
mais
complexo

segunda-feira, março 16, 2009

Farsas




Será previsível a queda da sociedade


O desmoronar de todos os ideais


Deixaremos de ser racionais


Na verdade o tempo corre-nos entre os dedos


E com ele vem as mudanças


Tornamos-nos em algo diferente...


Mas será justo perdermos os nossos ideais,


Para agradar ao mundo?


Será correcto continuarmos com a face de uma pessoa que já não somos?


E representar para o resto da vida? É viver?


Perdermos a compaixão e a noção da realidade


Deixaremos de dar para receber abusivamente


Perderemos a pena e ganhamos a frieza


Deixaremos de ser almas nobre com piedade


O mal dos outros será o nosso governo


As pessoas mudam! Mas porque tanto?


Tudo o que aprendemos sobre amizade torna-se ilusão


Deixamos de acreditar e nada mais é do que farsa


É triste é vida é mesmo assim


O tempo passa


O tempo marca


O tempo muda-nos


Com o tempo deixamos de ser quem somos!


Eu parei no tempo...Eu sou quem sou!

quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Meme

Recebi este meme da {Nanda}_A , do esplendoroso blog http://pensamentosexistentes.blogspot.com/




Selo 'Literatura é Arte!
Regras do Prémio:
Escrever uma lista com 8 coisas características suas (personalidade).
Convidar 8 parceiros(as) de blogs amigos para responder....
Comentar no blog de quem nos convidou.
Comentar no blog dos nossos(as) convidados(as), para que saibam da “convocação”...
Mencionar as regras.
Minhas características principais são:
Sonhador - Mesmo muito
Ganâncioso - Faz parte da realização dos sonhos
Desconfiado - Algumas vezes
Excentrico - Pouco
Sentimental - Muito
Honesto - O maximo que se pode
Possessivo - Um pouco demais as vezes
Ciumento - Quanto Basta
Continuação de boa escrita a todos vocês

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Pensamento momentanio


Nesta comédia que é a vida


Há coisas que nunca se ultrapassam


As pessoas


Os sentimentos


E a vontade


Por mais real que seja a realidade


Mais forte é sempre a verdade


Por muito real que seja viver


A vontade de partir perdura para o sempre


Porque no fim de um breve momento a pensar


Essa é a única verdade

domingo, fevereiro 22, 2009

Ai ai afinal quem escorrega também cai!

Podes até achar que eu sou assim
Podes pensar que estou no fim
A verdade cabe em mim
Podem surgir fingimentos
Eu sou eu mesmo nesses momentos
A inveja n te guia puto
Por tudo o que tenho eu luto
Sou livre e vivo de verdade
Se isso é inveja por favor toma vontade
Sente por ti o que sentes por mim
Talvez a tua historia tenha fim
Nunca preserves o bem do louco
Posso parecer parvo mas não sou oco
Acredita em mim
A vida é mesmo assim
A inveja só te destroi
E a mim só me constroi...
Exclusivamente este destina-se a pessoas que me acompanham e que tristez são...loool é o k tenho a declara!!!!!

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Viver os segundos da vida!



Minhas mãos percorrem teu rosto,


Meus lábios humedecem teu pescoço,


Incontrolavelmente o meu corpo se envolve,


Inesperadamente toda aquela paixão desenvolve!


Desnudados os corpo pelas insistentes caricias,


Digo-te ao ouvido algumas malicias,


Palavras que esquentam o momento,


Que tornam verdadeiro o envolvimento!


Como se um só fosse, os corpos se completam,


Sinto todas as forças quando os corpos se apertam,


Teu corpo do meu, naquele instante faz parte,


Sinto todas aquelas formas...chamo-lhe arte!


O meu corpo percorrido por tua respiração,


É levado a sentir tremores de grande dimensão,


Não quero controlar tal momento,


Quero descobrir o fim deste sentimento...


Tudo o que senti foi pura e bela arte,


Mas a palavra amo-te dela não faz parte,


Não que não queira sentir,


Mas não é correcto te mentir!


Não procuro construir-te confusões,


Nem mesmo criar-te ilusões!


Talvez seja tamanha a magoa do meu coração,


Que não queira ter outra desilusão!


Se como para mim, tu também estas bem assim,


Estes momentos de arte por muito aguardarão o fim,


O dia de hoje é para viver,


O amanhã ainda está para acontecer!


Se tudo isto para ti não chegar,


O meu beijo, será o teu bilhete para outro lugar,


Podes guardar o que queres recordar,


Amanhã pode já estar noutro lugar!


Concretiza-me o meu desejo...Deixa-me te abraçar!


Não quero despedidas, nem te ver chorar!


Hoje podes partir...


Mas o amanhã ainda está para vir...




Algumas pessoas que me conhecem podem sentir-se personagens deste texto...Mas mais uma vez digo ninguém faz parte do que escrevo...São apenas instantes do meu pensamento...a final de contas somos livres de pensar!

terça-feira, fevereiro 17, 2009

POST 50





Podia chamar-lhe dia da mudança se realmente algo tivesse mudado!
Precisava contar isto aqui sem muitos promenores desabafar a minha maneira!


Dia 6 de Janeiro de 2007


Uma noite tranquila tal como muitas outras


Mas nessa noite um corpo encharcado de álcool


Lançou no ar as palavras que mais me feriram até hoje


Para ele eu perdera toda a credibilidade


Já não confiava em mim


Já não havia mais razão para acreditar em mim


Nessa noite fui catalogado de ilusão


Fui rotulado com os defeitos todos do mundo


Com as palavras mais frias e duras


E de repente a minha luta terminaria ali


Fechei a porta do meu quarto


Enquanto chorava com a mala de viagem na mão


Decidia o meu futuro no pensamento


Enchi o saco o mais que pude


Meias...eu precisava de meias


Essas meias cobriam uma faca naquela gaveta


Meti as meias na mala e de faca na mão


Estava pronto a partir


Sentado pensava e o meu silencio quebrou


Não havia mais razão


Levanto-me e vou direito ao corpo de álcool


A esse corpo que me apagou os sonhos


E as palavras saíram:


"Senti que te perdi por me teres perdido


mas a verdadeira perda vais sentir agora"


Virei a faca em direcção ao meu corpo


Cara a cara


Ele vira no meu rosto o que estava a acontecer


Mas já a lamina tinha trespassado o corpo


E tudo estava tranquilo


Voltei para o meu quarto e fechei a porta


Sangrava sozinho ao mesmo tempo que alcançava o sorriso


Finalmente vou pegar na mala e vou partir


Quando aquela porta é arrombada


E daquele corpo de álcool só lágrimas saiam


Já nada do que foi dito era dito


Tudo era contrariado


Afinal ainda eramos amigos


Ainda eramos pai e filho!


Hoje sou vivo


Aprendia que a vida tem o seu valor


Nunca devemos desistir de alguém que não desistiu de si próprio


Porque perder uma pessoa é não te-la!

Não é que faço anos!!

O tempo passa e mais uma vez esta a chegar
Chega o dia em que teimo festejar
Mais um ano da minha existência
Mais um ano de experiência
Um ano bom
Um ano mau
É só mais um ano
18-02-1985
Que dia bonito...
Foi mesmo á 24 anos que fui lançado neste mundo de feras
Sem sequer contar com nada do que me acontece
Sem saber para o que vinha
Eu vim
Como o tempo cresce comigo
Também eu cresci com ele
Aprendi o que realmente é a vida
Conheci o mundo que me rodeia
As pessoas, os defeitos e os feitios
Aprendi que não há gente boa
Nem gente má
Apenas existe gente
Amei e odiei como pessoa que sou
Descobri que o tempo não pará
Que as oportunidades são escassas
Aprendi que a amizade existe
Mas que o mundo é uma selva
Hoje sei abraçar uma pessoa
Tal como sei "esfaquear" outros
Não choro sem ninguém chorar comigo
Não grito sem ninguém gritar comigo
Criei o meu próprio escudo
Ninguém me derrota sem que o arraste para o mesmo sofrimento
Como o tempo passa e tudo se transforma
Os anjos guardei junto do pai natal e do amor eterno
Junto dos sonhos com que cheguei a vida
Mas como o tempo passa
Os sonhos passam
Será apenas mais um ano
18 - 02 - 2009

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

Título




Súbito o interesse de ver


Liberdade faz parte do meu ser


Escolho as verdades e as mentiras


Tiras-me a vontade mas os sonhos não me tiras


Aos teus olhos posso desistir


Mas na verdade estou a submergir


A elevar-me cuidadosamente


Passo a passo silenciosamente


Sem eu próprio me aperceber


Este sonho vai-se desenvolver


Quando meu corpo ao fim chegar


De certo não iras acreditar


Mas certezas eu tenho de mim


E é de mim que espero tudo o que possa receber


Aos teus olhos não há nada para saber


Não te dou esclarecimentos


São meus apenas este pensamentos


Muitos fazem parte deles mas a mim pertencem


Mesmo os derrotados em mim vencem


Não meto todos no mesmo saco


Nem um em cada saco


Simplesmente não meto


Guardo...Guardo em mim


Em mim...No meu pensamento


Cada palavra, gesto ou momento


Existe sempre uma diferença ligeira


Cada um é de sua maneira


Muitos olhos não se conseguem olhar


Muitas bocas não se conseguem falar


A verdade é que todos tem muito para dar


Esta é a minha maneira de pensar


Já muitos de mim desistiram


Mas para mim nem esses partiram


Para muitos não sou niguém


Para outros sou alguém


Mas ainda não sei quem!?

sábado, fevereiro 07, 2009

O alcool escreve!

podia pensar que sim
que isso era sinceridade
criar na mente
que essa fosse a nossa verdade
mas tenhos a certeza de mim
a certeza do que sou
a certeza do que kero
a certeza do que sinto
e a certeza que não passa
o passado que não foge
e o passado que não eskeço
as lembranças que não voltam
são as lembrança que se foram
tal como o tempo
tal como os momentos
os beijos e sentimentos
os pequenos argumentos esvoassaram
tudo passa tudo passara
mas sempre
por muito que me custe
sempre e sempre
serei fiel a verdade deste sentimento!

sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Feito de força!


Penso eu que caminhas em vão

Mas todos os teu passos

Abrem um novo caminho
A quem te acompanha

Aos olhares mais distantes

Faz-lhes alcançar novas verdades

Outros motivos outras vontades

Faz-lhes ver para além

Daquilo que antes pensavam alcançar verdadeiramente

Não és um habito constante

E a fraqueza torna-te distante

És na plenitude tudo o que precisamos

Para tudo o que usamos

Difícil és de encontrar

Quando o manto negro preenche a alma

Quando o choro cobre o rosto

E o corpo fracassa

Mas quando tudo passa vens sorrateira

Colocas em nossos rostos o sorriso

Apagas por momentos as luzes

E descobres a alma antes coberta

De novo se acende a luz da esperança

Das um passo

Abres caminhos

Das-nos novas visões

E é de ti que queria ser feito

Feito de ti, feito de força

quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Traços



Traços...apenas o que traço

Tudo são traços

Pequenas marcas curtas

Confusas e obscuras

Traçados a preto no branco

Traços que não se tocam

Traçados que apenas se cruzam

Traços que não se separam

Traços traçados

Rabiscos

Traços... apenas traço

Todos os dias pinto naquela folha um novo traço

Hoje parei para observar

Vi algo naquela folha branca

Algo simples...Traços como os descrevo

Sejam pequenos, grandes, curvos, rectos, negros, leves, pesados ou apenas traços

Hoje vi...

Um dia os que jamais se cruzariam jamais se despegam

Naquela folha branca a um pequeno espaço para o individualismo

Mas naquela folha branca um dia todos se juntarão

segunda-feira, fevereiro 02, 2009

Paginas de dentro



É parte de nós!

Vivem em nós!

Foram vividas por nós!

E perseguem-nos...

Boas ou más

Feliz ou tristes

Necessárias ou desnecessárias!

Vivem em nós, mais ou menos focadas, habitam-nos...

São as memorias do passado,

É o passado,

São as antigas vivências

As passadas experiências!

São parte de nosso corpo!

Fazem-nos chorar ou rir...

Fazem-nos odiar ou adorar...

Orgulham-nos ou desiludem-nos...

Algo que vivemos à anos e que continua tão presente...

Um beijo, um local

Um amor, um choro

Um riso, um desgosto

Uma flor, um gesto

Palavras e actos....

Ficam, habitam, apoderam-se da memoria

Fazem de nós pessoas diferentes,

Crescemos com elas, aprendemos com elas,

Memorias do passado,

Ensinamentos do presente...

É um livro pessoal, aberto dentro de nós

No meu livro...Consigo apenas ler as lágrimas...

São as marcas mais profundas da minha memoria!

sexta-feira, janeiro 23, 2009

Pedir Demais?


Seria demais querer o que não desejamos?


E desejar o que não queremos ?


Seria demais dizer o que nunca ouvimos?


E ouvir o que nunca dissemos?


Seria demais nada fazer por nada?


E nada ser feito por algo?


Seria demais seu eu fosse indiferente?


E se eu não fosse diferente?


Seria demais tamanha igualdade?


Seria demais pedir compreensão?


E um abraço?


Um sorriso?


Um gesto?


Uma atenção?


Sem vergonha nem preconceito!


Um momento apenas de sentimento puro


Seria demais?


Seria demais de certo se eu fosse apenas eu!


De certo não é demais por vezes eu ser eles!

Conforto-me confortando!

sexta-feira, janeiro 16, 2009

DESAFIO SORRISOS



_JULIA_
A imagem do meu sorriso é demonstrada através desta..não trata-se de mim... mas:

traduz a grandiosidade da beleza,

no universo de um ser apenas..

com o aspecto da alegria..

com um ingrediente especial, a ternura..

mostra todos os sentimentos

capaz de fazer sorrir o coração alheio

não busca explicações ou soluções, não precisa!!!

somente reflete a intensidade dos mesmos!!!!


Está aceito o desafio...

quarta-feira, janeiro 14, 2009

Factor Consciência



Repara tu consciência o que se passa comigo...


Tu sim...que perante mim te joelhas,


Que perante mim imploras,


Que perante mim choras,


Com essa necessidade de ser usada!


Tu sim...tu consciência que perante mim imploras!


E eu? Repara em mim tu consciência,


Que ao meu dispor te encontras,


Que as minhas ordens obedeces,


Tu humilde e pobre consciência!


Sempre disposta...


E eu? sei que existes e resistes,


A todos os momentos em que te ignoro!


De certo não somos almas gémeas!


De certo não nos damos!


Queres ficar? sei que sim!


Mas não me peças que te use!


Teu lugar foi ocupado,


Por algo que não sei descrever.


Algo que cresceu bem mais depressa que tu,


Memórias que ficaram de historias que acabaram!


Talvez eu seja feito apenas de tristes recordações!