quinta-feira, outubro 15, 2009

Noites Boas!

Repare-se se não se torna estranho acordar, acordar apenas porque preciso escrever, tem sido assim, aqui neste meu lugar neste canto da minha vida, neste buraco, buraco dos meus pensamentos. Hoje passei para dizer o pouco do pouco que tanto sinto...

Procuro-me em quanto converso

Temo o reflexo deste inverso

A realidade que me fica de costas voltadas

A verdade que me deixa as ideias baralhadas

Temo-te, temo-te teoricamente

E sigo, piso e amanso a incerteza insistentemente

Não quero seguir, nem tão pouco retornar

Quero, e quero agora ver-te em ti escavar

Quero que procures em ti, nas tuas profundezas,

Quero que sintas as minhas incertezas...

Encontra na tua mentira a minha verdade

Procura, insiste na real realidade

Procura na fragilidade das coisas mais ocultas

Sente a verdade nas mentiras que escutas

Entra no tumulo meu que a ti pertence!

2 comentários:

Letícia Vieira da Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Letícia Vieira da Costa disse...

Adorei a expressão "buraco dos meus pensamentos" vou roubá-la de ti. Na verdade adorei a poesia inteirinha(risos). E o final então é muito tri. Me lembrou a Florbela que eu adoro tanto. Afinal ela falava muito em túmulo, morte e afins. Bom eu achei bem romântico,"Entra no túmulo meu que a ti pertence" Mas acho que se eu falasse isso pra alguém talvez ele achasse um pouco macabro(risos) Bjs

Enviar um comentário